Povoado Gameleiro

- Euvaldo Lima - - 14 de Maio de 2014 | - 2:07 - - Home » 5ª Edição» Mais Glória» Povoados - - Sem Comentários

 pov-gameleiro

Localizado ao sul do município, a seis km da cidade, contida na bacia hidrográfica do rio Ser­gipe, a fertilidade do seu solo é bem acima da média e o clima bem mais úmido que os demais. Segundo populares, essa região é habitada, há mais de um século, por pessoas de origem humilde que bus­cavam um recanto de solo fértil, vo­cacionado para agricultura, e por ser uma região acidentada e não explora­da pelos então coronéis, aos poucos, foi se povoando.

pov-gameleiro2Sua denominação veio da exis­tência de muitas árvores que eram usadas para fazer gamelas, bacias ou conchas feitas de madeira, e sua eco­nomia promana da agropecuária lei­teira, seguida pelo comércio bovino de abate. Com a percepção de que jovens buscavam em outras regiões espaços para materializar seus sonhos, nos anos noventa, estes liderados por Gi­valdo da Silva Santana criaram uma associação e conseguiram uma infra­estrutura até então só vista nas zonas urbanas.

Assim, torna-se uma das primei­ras comunidades glorienses contem­pladas com a eletrificação, água da Deso, trator comunitário, verbas do Ministério da Saúde para compra de medicamento, e um centro comuni­tário onde hoje está sendo instalada uma escola de informática. Entre as famílias, destacam-se: os Bela, os Tetê, os Milla, os Ferreira, os Batista. Mas a maior delas, os Jacó: Manoel de Jacó, agricultor e também rezador, avô do DJ Carioca; Teté de Jacó, carpinteiro, avô do atual presi­dente da Associação, Cláudio Vieira, e do empresário Verton Vieira. João de Jacó, esposo da renomada rezadeira que pela sua generosidade tornou-se conhecida por Mãe Rosa, e ainda na família Jacó encontramos outro ícone das palavras santas, Sevino de Jacó, que, além de rezador, foi carpinteiro, pregoeiro e comerciante muito co­nhecido no Estado, avô de Givaldo da Silva Santana, ex-presidente da CDL e ex-Secretário de Indústria e Comércio do município, atual gerente adminis­trativo da Zeep Estofados e fundador da associação responsável pelas pri­meiras e grandes ações que garantem tranquilidade aos gameleirenses.

Entre os descendentes dos cita­dos, lembramos: Zezé de Bela, sogro do professor Cornelito; Zé de Acena, pai de Nilson; Chico de Bela; Alfeu, pai do saudoso Rafelito marchante; Zezé de Teté, pai do Cabo Moreira; o mo­totaxista Corcoran; Nina de Lié, ma­triarca de uma família de mais de vinte marchantes.

Euvaldo Lima

Por: Euvaldo Lima dos Reis

Comerciante, Poeta Feiranovense, Esposo da Pedagoga Marta Maria da Silva Reis, divide com Deus a paternidade de quatro estrelas denominadas, LIZZE, BRIZZA, KAIPPE e KAIZZE. Autor do livro de poesia um sopro em versos, de dezenas de cordéis, participou das antologias, Retalhos, Unidos na Fé, e no mês 02/12, classificou 04 das cinco poesias num concurso no Tocantins á nível de Brasil, qual será publicada na antologia “Veloso 2012”, Foi um dos diretores da revista flash, membro das diretorias de diversos órgãos sociais voltados para o voluntariado na região, idealizador e diretor geral do projeto Revista Maisglória.

Enium Interativa Criação de sites

Deixe seu comentário!

Para: Povoado Gameleiro