Povo Xokó: a luta pela terra

- Eleomar Marques - - 29 de Maio de 2014 | - 8:41 - - Home » 7ª Edição» Mais Glória - - Sem Comentários

Os índios Xokó, são nativos do tronco tupi e desde o século XVI se localizam no norte do município sergi­pano e sertanejo de Porto da Folha, na Ilha de São Pedro.

indios

Os jesuítas, com o intuito de cate­quizá-los, gradativamente passaram a mudar os hábitos dos nativos, inclusi­ve proibindo os costumes e cultura. Os maus-tratos e o trabalho compulsório eram comuns. Assim também o deflo­ramento das índias pelos brancos. De­vido a tais fatos, os gentis fugiram da Ilha para se juntar aos Kariri em Porto Real do Colégio/AL.

Quando a Ilha se encontrava bem povoada, o coronel Porfírio de Brito, com a conivência do jesuíta, frei Do­roteu, passou a usar os índios para o trabalho de meeiro, contudo, segundo o coronel, as dívidas dos nativos eram sempre superiores ao que deveriam receber.

Em 1859, o então imperador do Brasil, Dom Pedro II, sensível à causa dos índios, concedeu a documentação das terras aos nativos. Mas, o Coronel Brito, embriagou os índios e destruiu os documentos.

indios2Depois de muitas lutas, inclusive, com a participação da Igreja Católica, em 9 de setembro de 1979, graças ao empenho do Frei Enoque e do bispo Dom José Brandão de Castro, de fato, os xokó reconquistaram suas terras. Essa data é comemorada até os dias atuais.

A agricultura e a cerâmica torna­ram-se coisa do passado. A Ilha hoje é um forte ponto de atração podendo os curiosos e estudiosos encontrar as ruínas da casa onde se hospedou Dom Pedro II, além dos restos do convento capuchinho.

O atual Cacique Bá, reclama do descaso dos governantes para com a comunidade e desabafa: “Os ditado­res dessa terra acabaram com nossos cabelos lisos, nossa pele lisa e nossa língua materna, mas, não acabaram com sangue e espírito. Somos tão ín­dios como os Xavante ou Xingu…”.

Infelizmente, não estamos dis­tante da total extinção dos índios e, como lembrança, nos restará apenas um calendário na parede com o dia 19 de abril.

Eleomar Marques

Por: Eleomar Marques

Licenciado em História pela UFS e acadêmico de Direito pela mesma universidade. Estudante de Rádio e TV, SENAC/ CE (EAD). Professor da rede estadual de ensino de Sergipe e municipal de Porto da Folha/ SE.

Enium Interativa Criação de sites

Deixe seu comentário!

Para: Povo Xokó: a luta pela terra