Gilderlan Cavalcante, o menino do amendoim

- Euvaldo Lima - - 27 de Maio de 2014 | - 2:48 - - Home » 6ª Edição» Homenagens» Mais Glória - - Sem Comentários

“Zé Gonzaga não cansava de dizer: ‘foi o filho que todo pai gostaria de ter’ [...]”

“Zé Gonzaga não
cansava de dizer:
‘foi o filho que todo
pai gostaria de ter’
[…]”

Este era o cognome que identi­ficava uma das criaturas mais belas que esteve por dezesseis anos no coração de Glória e de cada gloriense. Até mesmo para os que não gozavam de sua amizade, era impossível passar pelas calçadas do supermercado Nunes Peixoto e não se contagiar pelas energias salutares de um menino que na luta para realizar seus sonhos materiais, surge em tenra idade por trás de um saco de amen­doim que não expressava apenas o peso de um saco e sim, da luta de um pequeno ser que incansavelmente lu­tou para se erguer, contribuindo com o orçamento familiar, custeando a sua própria passagem terrena.

Na tarde de um sábado negro, depois de gritos intuitivos de familia­res que clamavam a seu modo: não saia! Não vá! Segue em direção aos seus últimos instantes no corpo físi­co, a poucos metros das quatro telhas que tão bem te ampararam durante esta passagem terrena, sobre teste­munhos daqueles que te deram vida e ajudaram a firmar-se naquele corpo criança que crescia apenas em respon­sabilidade e disciplina.

Sem perder os inesquecíveis tra­ços de ingenuidade, foi acometido por energias bárbaras, oriundas de men­tes animalescas que por não terem a coragem do eterno menino do amen­doim, lançaram as mãos que Deus lhe dera para trabalhar e usaram-nas para roubar, atingindo o pobre menino na fuga, levando-o a óbito.

Jamais esqueceremos as imagens formadas a partir do semblante das criancinhas que em lágrima faziam do seu nome uma poesia triste, dos jovens que uníssonos clamavam justi­ça e recordavam as brincadeiras versáteis que co­loriam seus dias, dos senhores que a exemplo de Zé Gonzaga não cansava de dizer: “foi o filho que todo pai gostaria de ter”, os irmãos que certamente não sabiam do tesou­ro que tinham , amargando a dor de não tê-lo curtido mais, de não tê-lo amado mais.

Nós que fazemos o Portal e Re­vista Mais Glória, aproveitamos para parabenizar a sua tia dona Adriana, a sua mãe biológica dona Valéria, a dona Irací mãe-avó e ao nosso eterno companheiro, Tiago Souza, seu irmão presente em todos os momentos de sua vida. Também desejamos nossos parabéns aos demais parentes e ami­gos por terem tido como empréstimos de Deus por 16 anos, alguém tão espe­cial, que conforme combinado, retor­na aos braços do pai, com a certeza do dever cumprido.

Euvaldo Lima

Por: Euvaldo Lima dos Reis

Comerciante, Poeta Feiranovense, Esposo da Pedagoga Marta Maria da Silva Reis, divide com Deus a paternidade de quatro estrelas denominadas, LIZZE, BRIZZA, KAIPPE e KAIZZE. Autor do livro de poesia um sopro em versos, de dezenas de cordéis, participou das antologias, Retalhos, Unidos na Fé, e no mês 02/12, classificou 04 das cinco poesias num concurso no Tocantins á nível de Brasil, qual será publicada na antologia “Veloso 2012”, Foi um dos diretores da revista flash, membro das diretorias de diversos órgãos sociais voltados para o voluntariado na região, idealizador e diretor geral do projeto Revista Maisglória.

Enium Interativa Criação de sites

Deixe seu comentário!

Para: Gilderlan Cavalcante, o menino do amendoim