Drogas: males e consequências #1

- Idegivânia dos Santos Silva - - 26 de junho de 2014 | - 12:24 - - Home » 12ª Edição» Mais Glória» Saúde» Saúde - - Sem Comentários

drogasAo longo dos últimos anos o Brasil sofreu grande au­mento do consumo de drogas.Todo dia, toda hora e em todo lugar o assunto das drogas permeia quase todos os campos de debates, sem distinção de classe social nem nível intelectual, mas afinal o que é a droga?

Drogas são substâncias utilizadas para produzir alterações, mudanças nas sen­sações, no grau de consciência e no estado emo­cional. As alte­rações causadas por essas subs­tâncias variam de acordo com as características da pessoa que usa, qual droga é utilizada e em que quan­tidade. O efeito que espera da droga e as circunstâncias em que é consumi­da. Geralmente achamos que existem apenas algumas poucas substâncias extremamente perigosas e que drogas são apenas os produtos ilegais como maconha, cocaína e o crack. Porém do ponto de vista de saúde, muitas subs­tâncias legalmente autorizadas podem ser igualmente perigosas, como exem­plo o álcool e o tabaco.

As drogas atuam no cérebro afetando a atividade mental, sendo por essa razão denominadas psicoativas. Basicamen­te, elas são de três tipos:

Drogas que diminuem a atividade mental – também chamadas de drogas depressoras, afetam o cérebro fazendo com que funcione de forma mais lenta.

Ansiolíticos ou tranquilizante – co­nhecidos como sedativos, calmantes, causa alívio da tensão e da ansiedade, relaxamento muscular, sonolência, fala pastosa, descoordenação dos movi­mentos, falta de ar. Em altas doses po­dem causar queda da pressão arterial. Quando usadas com álcool, aumentam os seus efeitos, podendo levar a estado de coma. Em grávidas podem causar má formação fetal.

Álcool – conhecido como birita, mé, pinga, mel, em pequenas doses causa desinibição, euforia, perda da capacidade crítica, em doses maiores sensação de anestesia, sonolência, se­dação. O uso excessivo pode provocar náusea e vômitos, suor abundante, dor de cabeça, tontura, liberação da agressividade, diminuição da atenção, da capacidade de concentração, bem como dos reflexos. O uso prolongado pode ocasionar do­enças graves como cirrose e atrofia (di­minuição) cerebral.

Inalantes ou solventes – cola de sapateiro, esmal­te, benzina, lança perfume,gasolina, acetona, éter tíner, causa euforia, so­nolência, diminuição da fome alucina­ções, tosse, coriza,dores musculares, visão dupla, fala enrola­da, confu­são mental. Em altas doses, pode gerar queda na pressão arterial, diminuição da res­piração e dos batimentos cardíacos po­dendo levar à morte. O uso continuado pode causar problemas nos rins e des­truição dos neurônios, podendo levar à atrofia cerebral. O uso prolongado está frequentemente associado à tentativas de suicídio.

Narcóticos (heroína, morfina, do­lantina, demerol, codeína presente nos xaropes de tosse, elixir paregórico) cau­sa sonolência, alívio da dor, sedativo da tosse, estado de torpor, sensação de le­veza e prazer, pupilas contraídas. Pode haver queda de pressão arterial, dimi­nuição da respiração e dos batimentos cardíacos podendo levar à morte. Na abstinência, bocejos, lacrimejamento, coriza, suor abundante, dores muscula­res e abdominais. Febre, pupilas dilata­das e pressão arterial alta.

Drogas que aumentam a atividade mental – também chamadas de esti­mulantes, afetam o cérebro fazendo com que funcione de forma mais ace­lerada.

Anfetaminas – conhecida como boli­nha, rebite, ice, causa alívio da tensão e da ansiedade, relaxamento muscular, sonolência, fala pastosa, descoordena­ção dos movimentos, falta de ar. Em altas doses podem causar queda de pressão arterial. Quando usadas com álcool, aumentam os seus efeitos, po­dendo levar a estado de coma. Em grá­vidas podem causar má formação fetal.

Cocaína – conhecida como pó, crack, merla, pasta-base, causa sensação de poder, excitação e euforia. Estimula a atividade física e mental, causando ini­bição do sono e diminuição do cansaço e da fome. Pode causar taquicardia, febre, pupi­las dilatadas, suor exces­sivo e aumento da pres­são sanguínea. Podem aparecer insônia, ansie­dade. Paranóia, sensa­ção de medo ou pânico. Pode haver irritabilidade e liberação da agressivi­dade. O uso prolongado pode levar à destruição do tecido cerebral

Idegivânia dos Santos Silva

Por: Idegivânia dos Santos Silva

Graduada em Psicologia Clínica pelo Centro de Estudo Superior de Maceió (CESMAC), durante todo o seu percurso acadêmico e profissional esteve voltada para o trabalho com pessoas acometidas por sofrimento psíquico.

Enium Interativa Criação de sites

Deixe seu comentário!

Para: Drogas: males e consequências #1