A realidade da bacia leiteira do nosso Estado.

- Edmar de Almeida Santos - - 30 de Abril de 2014 | - 12:02 - - Home » 2ª Edição» Mais Glória - - Sem Comentários
Fazenda Três Corações - Pov. Lagoa do Chucalho (sic)

Fazenda Três Corações – Pov. Lagoa do Chucalho (sic)

A produção leiteira, especificamente no sertão sergipano, necessita ser otimizada em sua eficiência reprodutiva, pois pode ser um dos principais fatores que contribuem para melhorar o desempenho e a lucratividade do rebanho leiteiro.
É sabido que  o desempenho reprodutivo é o principal e direto responsável pela produção de leite por dia de vida útil da vaca (mais picos de lactação durante a vida produtiva). Assim, o número de animais de reposição, redução de custos e evolução do rebanho (descartes voluntários e não somente baseados na condição gestante/vazia), afetam o resultado financeiro da atividade. O intervalo médio de partos ocorridos no rebanho leiteiro nacional é maior que dezoito meses. Isso quer dizer que muitos produtores não sabem o prejuízo que amargam, quando não acompanham o problema, caracterizando-se como um criatório de animais e não como empresa rural.

A primeira atitude para se mudar esta realidade em cada rebanho assistido é mostrar aos proprietários o enorme prejuízo decorrente de um mau desempenho reprodutivo. O segundo passo constaria de uma análise das condições da propriedade. Cada uma delas apresenta particularidades próprias (características do rebanho, topografia, condições de manejo, etc) que impossibilitam a adoção de uma mesma recomendação para todas, havendo a necessidade de uma avaliação caso a caso. Como um terceiro e último passo, definidas as potencialidades de cada propriedade, implementar as medidas que busquem a melhoria constante na eficiência reprodutiva. Um bom programa de controle reprodutivo deve se basear em um conjunto de atividades que visem maximizar a performance reprodutiva de determinado plantel, dentro das suas características próprias.

É importante não acreditar em fórmulas pré-fabricadas, que podem ter funcionado  com sucesso em outra situação ou propriedade. Para análise da situação inicial do plantel, qualquer informação anterior é importante. Além disto, todos os animais em idade reprodutiva devem ser examinados, pois, mesmo que haja uma informação anterior sobre este ou aquele animal, um novo exame deve ser realizado, para confirmação ou não da informação fornecida, obtendo-se um diagnóstico mais preciso da real situação reprodutiva de cada animal. Com as informações da escrituração existente e os resultados do exame de todos os animais, devem ser elaborados os índices possíveis de serem obtidos imediatamente, como intervalo de partos, percentual de matrizes gestantes, relação entre vacas secas e em lactação, etc. Tal avaliação revela-se imprescindível para uma visão geral da situação existente, o estabelecimento de prioridades de atuação e da constatação de uma situação inicial para comparações futuras, depois de iniciado o programa de controle.

Para as anotações de campo, existe um mínimo necessário de informações a se coletar, independentemente do sistema de controle, como data de parto, cobertura, controle leiteiro, tratamentos, etc. Elas devem ser utilizadas frequentemente para análises rápidas e periódicas, e futuramente para obtenção de índices, estudos de performance de cada animal. Como se pode ver, o correto manejo reprodutivo em uma fazenda de leite envolve muitos aspectos, todos eles interligados e de fundamental importância. Desta forma, com o acompanhamento de um médico veterinário, facilitaria e melhoraria o manejo, a produção e os aspectos sanitários do rebanho, tendo assim um melhor desempenho, redundando, por consequência, em lucros para a empresa rural.

Enium Interativa Criação de sites

Deixe seu comentário!

Para: A realidade da bacia leiteira do nosso Estado.