A difícil arte do riso

- Professor Jorge Henrique - - 2 de julho de 2014 | - 10:18 - - Home » 14ª Edição» Cultura» Mais Glória - - Sem Comentários

fuleragem

Prender a atenção de um público heterogêneo durante quinze minutos não é nada fácil. Imagine prendê-la por um tempo maior. Os professores, meus colegas, que o digam, pois enfrentam a batalha colossal de conquistar, diariamente, a atenção de seus pupilos. Essa difícil arte vai se tornando bem mais complexa a cada palavra, a cada segundo, a cada minuto, pois o foco de nossa concentração é fugidio. Num piscar de olhos, a mesma palavra que nos desperta a curiosidade pode provocar uma leve divagação e pronto! Já estamos viajando em terras distantes e sequer ouvimos as palavras do palestrante à nossa frente.

Garantir que o público fique atento ao que se fala e, além disso, provocar gargalhadas então é algo dificílimo, que apenas alguns poucos e habilidosos privilegiados conseguem fazer. Eis o motivo da satisfação de ter feito parte daquele público que assistiu entusiasmado ao primeiro show de humoristas glorienses e que pôde constatar sua aptidão nesse ofício, ainda pouco explorado em nossa terra.
Luiz Carlos e Lohan Lima não apenas demonstraram seu talento cômico, mas conquistaram e ocuparam um espaço necessário que estava vazio na produção cultural local: o espaço do humor. Numa época em que o estresse da luta pela sobrevivência atingiu patamares tão elevados que transformou a depressão numa doença comum; Numa conjuntura em que a tensão provocada pela falta de segurança passou a ser a companheira diária de todos nós, o riso cumpre um papel fundamental. Nada provoca um estado de bem-estar e tranquilidade de forma tão instantânea quanto o riso puro, simples e espontâneo. Rir é gostoso demais. Rir é necessário. Daí o imperativo dos humoristas em tentar reproduzir esse comportamento tão salutar. Daí a importância de festejarmos o surgimento de profissionais desse ofício em pleno sertão sergipano, como é o caso desses dois garotos.

Quem foi ao “Show de humor mais filé de Sergipe” – ocorrido no “Celeiro Grill”, em 03 de maio passado – presenciou a revelação de talentos incontestes de nossa terra. Luiz Carlos demonstrou um excelente domínio de palco e público, sobretudo quando encarnou a figura irreverente do seu personagem mais caricato: “Seu Toba”. Lohan Lima revelou-se um imitador de mão cheia, que surpreendeu ainda mais o público com uma voz afinadíssima, em excelentes interpretações musicais. Os dois jovens humoristas riram de suas próprias piadas, fizeram todos soltarem espontâneas gargalhadas, envolveram o público em suas brincadeiras e criaram um clima amigável de aconchego e descontração durante mais de uma hora e meia de show. Fizeram, em sua estréia, uma apresentação digna de profissionais de longa experiência na arte de fazer rir; Ofereceram momentos agradáveis ao seu público, exatamente o remédio de que este precisava, para aliviar as tensões da batalha diária. Esses dois jovens, durante todo o tempo, conseguiram, com grande habilidade, manter os olhos de todos atentos às suas histórias e performances, admirados pela criatividade que demonstraram.

Foi uma noite especial, que deixou o desejo de “quero mais”.
Viva o jovem humor gloriense!

Enium Interativa Criação de sites

Deixe seu comentário!

Para: A difícil arte do riso