200 anos de história: Povoado Tanque de Pedra

- Euvaldo Lima - - 15 de Abril de 2014 | - 10:35 - - Home » 1ª Edição» Conhecendo Glória» Destaques» Mais Glória» Povoados - - Sem Comentários

Segundo relatos de populares, dentre eles os de Manoel Deodato, Borges, Leôn­cio Ribeiro Aragão, primeiros moradores (todos in memoriam); há mais de du­zentos anos, quando ainda pertencente ao município de Gararu, a localidade já era conhecida como Tanque de Pedra, devido às belezas naturais de forma exu­berante, sendo expostas pelos habitantes da região como atrativo natural. Desde aquela época era considerada o principal ponto de encontro de jovens e adultos, de ambos os sexos, principalmente nos finais de semana, onde, de forma saudável, sem uso de bebi­das alcoólicas e outras drogas, eram desenvolvidas atividades recreativas de lazer como, banho de sol, disputas de nado livre, mergulhos, dentre outras brincadeiras improvisa­das, de forma que ao longo dos anos o Tanque de Pedra se popularizou tanto que deu nome ao povoado que se formou em suas imediações.

Os referidos relatos testemunham o valor das belezas naturais da região, que, por obra e graça da natureza, se mantêm até os dias atuais. Observando as imagens feitas recentemente no Tanque, é possível constatar riqueza de detalhes onde a própria nature­za ao esculpir as formas do relevo, decorava um acervo de pedras brutas. O trabalho da erosão, pela água e pelos ventos, assim como as mudanças de temperatura, ao longo do tempo, permitiram a ocorrência de reservatórios de vários tamanhos, conhecidos como “Pias”. A “Pia de Ma Zé”, “Pia do Escorrego”, “Pia Podre”, “Pia Redonda” dentre outras, eram limpas nas vésperas das trovoadas para armazenar água límpida para as lavagens de roupas. A “Pia do Curtume” era utilizada para curtição de couros de boi, de ovelha, para fabricação artesanal de chapéus, bornais, guarda-canas de vaqueiro, rolós, peitorais de cavalos, e outros artigos para o homem do campo.

Outro atrativo bastante conhecido é a “Pedra de Amarrar Cavalos”, que na verdade é um enorme bloco encravado no próprio tanque e que servia justamente para amarrar os cavalos enquanto os seus donos tomavam banho.

Atraídos pela fertilidade de seu solo, há mais ou menos duzentos anos, provindos de regiões mais adversas, seus primeiros colonizadores foram imprimindo as suas mar­cas nas mais diversas áreas, firmando o referido povoado como um dos mais importantes do município.

Infelizmente, não encontramos registro de nenhum projeto de lei ao longo dos seus 200 anos, aprovado por alguma autoridade gloriense, com intuito de beneficiar o mesmo, preservando suas origens, a não ser as manisfestações lideradas pelo historiador Ancelmo Aragão.

Se contra fatos não há argumentos, hoje consta na história do município de Nossa Senhora da Glória, várias conquistas com a impressão digital de glorienses filhos do Tan­que de Pedra. No campo da política, sempre tivemos representantes na Câmara Munici­pal onde ao longo dos anos se revezaram os seguintes nomes: Humberto Ribeiro, Afonso de Cante, Adalberto Ribeiro, Márcia Ribeiro e Adenilton Ribeiro (Tatiu), o qual permanece no exercício da função de Vereador.

Como pilares da educação no referido povoado, encontramos quatro nomes que dignificaram a classe estudantil de todos os tempos: Maria Helena, Salvelina, Dejanira (ambas in memoriam) e a memorável Zolaílde.

A cento e trinta quilômetros da capital e a nove quilômetros da sede do município, com uma população de aproximadamente 500 habitantes, em um solo marcado pela rigi­dez de suas pedras, assim como a adenium obesum (a flor do deserto), o Tanque de Pedra consegue dar bons e belos frutos, mesmo se estabelecendo sobre a rocha e solos difíceis.

pessoas-tanque-de-pedra

fotos-tanque-de-pedra

No tocante à Arte e à Cultura, nos presenteamos com o talentoso professor An­celmo Aragão (professor de História, de Música e Poeta). Com participação especial em duas antologias poéticas, “Retalhos” e “Unidos na Fé”, e como violonista clássico, é um nome respeitado entre os conhecedores da área, não apenas da nossa região. O mesmo tem enriquecido alguns eventos com a sua participação como alguns Seminário Espíritas, saraus organizados pelo Rock Sertão, oficinas e outros eventos culturais.

Movido pelo dom, com técnicas próprias, fomos surpreendidos com a desenvoltu­ra do garoto Jéferson Oliveira dos Santos, 16 anos, filho de Jorge Antonio dos Santos e Dona Evânia Oliveira Santos que desde os oito anos, já expressa grande domínio na arte de Caricatura e Anime.

E é também naquela região, ao des­cortinar da fortaleza, sobre as verdejantes paisagens e inspirações divinas, movidos sobre o eco das águas do riacho Capivara, que encontramos o mais famoso sanfo­neiro e autêntico pé-de-serra José Ernesto dos Santos, popularmente conhecido no meio artístico nordestino como sanfoneiro e compositor “Tenente” (autor das músi­cas “Fazenda Velha”, “Rosinha”, dentre outras). O mesmo mantém a tradição com maestria, embevecido com um acervo de troféus, medalhas, fotos, DVD’s e muitas boas recordações.

Se os bons frutos provêm de boas sementes, não por acaso, as lições vesper­tinas do “Tenente” sanfoneiro, renderam frutos, bons frutos e para alegria do inte­rior de nosso Estado, surgiu e continua crescendo o musical Syrius, administrado pelo músico e vocalista Paulo. (ou Paulo de Tenente).

No processo eleitoral contribuiu com a instalação de duas urnas que serviram também as comunidades adjacentes tota­lizando em média seiscentos votos.

As atividades econômicas no Tanque de Pedra são voltadas à produção agrope­cuária, tendo como predomínio o plantio de milho, feijão e palma, que serve como ração para os animais. Além disso, existem seis fabriquetas de laticínios e derivados (queijo, manteiga e requeijão), com um volume significativo de leite cru produzido diariamente, fixada atualmente em cerca de nove mil litros/dia. Esta atividade gera em média cinquenta empregos diretos e dezenas indiretos. Por esta razão, obser­vamos intensa pecuária leiteira, além da ovinocultura.

Quanto à infraestrutura social do Tanque de Pedra, é importante desta­car que atualmente o povoado vivencia a erradicação das casas de taipa, possui um templo católico, bares, restaurante­-churrascaria, Unidade Básica de Saúde, pavimentação, campo de futebol, Associa­ção Comunitária com sede própria, quadra esportiva e um Colégio de Ensino Funda­mental que atende a própria comunidade, e adjacências.

Euvaldo Lima

Por: Euvaldo Lima dos Reis

Comerciante, Poeta Feiranovense, Esposo da Pedagoga Marta Maria da Silva Reis, divide com Deus a paternidade de quatro estrelas denominadas, LIZZE, BRIZZA, KAIPPE e KAIZZE. Autor do livro de poesia um sopro em versos, de dezenas de cordéis, participou das antologias, Retalhos, Unidos na Fé, e no mês 02/12, classificou 04 das cinco poesias num concurso no Tocantins á nível de Brasil, qual será publicada na antologia “Veloso 2012”, Foi um dos diretores da revista flash, membro das diretorias de diversos órgãos sociais voltados para o voluntariado na região, idealizador e diretor geral do projeto Revista Maisglória.

Enium Interativa Criação de sites

Deixe seu comentário!

Para: 200 anos de história: Povoado Tanque de Pedra

Os Comentários Estão Fechados.